(16) 3826-3000
(16) 9.9995-9011
Home / Agronegócio / Vacinação contra febre aftosa começa dia 01 de novembro
Boiada

Vacinação contra febre aftosa começa dia 01 de novembro

Defesa orienta modo correto de vacinação contra febre aftosa, que começa em 1 de novembro
A segunda etapa da campanha de vacinaç ão contra a febre aftosa de 2018 será realizada no Estado de São Paulo pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento de 1 a 30 de novembro. Devem ser vacinados todos os bovídeos (bovinos e bubalinos) do rebanho de zero a 24 meses. A expectativa é que 100% dos bovídeos sejam vacinados. O criador tem até o dia 7 de dezembro para comunicar a vacinação.Para garantir uma vacinação eficiente é preciso que o criador observe alguns cuidados. “A primeira providência é adquirir as vacinas em estabelecimentos cadastrados na Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), que são fiscalizados por nossa equipe de médicos veterinários, técnicos de apoio agropecuário e outros profissionais, para verificar as condiç ões de armazenamento do produto a ser comercializado”, disse Fernando Gomes Buchala, coordenador da Defesa Agropecuária.

A legislação proíbe o uso de vacinas adquiridas em etapas de vacinações anteriores. A vacina deve ser mantida entre 2 e 8 graus centígrados, tanto no transporte como no armazenamento, usando uma caixa de isopor, com no mínimo dois terços de seu volume em gelo. Este cuidado é importante para que a vacina não perca sua eficácia e proteja os animais. A vacina nunca deve ser congelada.

Já a escolha da hora da vacinação, além de não interferir na temperatura das vacinas, pode proporcionar maior conforto aos animais. O importante é escolher o horário mais fresco do dia para realizar a vacinação, classificando os animais por idade (era) e sexo, para evitar acidentes durante a vacinação.

A higiene e a limpeza são fundamentais na hora desse procedimento. Usar seringas e agulhas novas e higienizadas, sem o uso de produtos químicos (nem álcool, nem cloro). O local para aplicar a vacina é, de preferência, no terço médio do pescoço (tábua do pescoço). Independentemente da idade, a dose é de 5 ml de vacina. As agulhas devem ser substituídas com frequência, para evitar infecções e os frascos da vacina devem ser mantidos resfriados durante a operação.

O criador tem até o dia 7 de dezembro para comunicar a vacinação ao órgão oficial de Defesa Agropecuária diretamente no sistema informatizado Gedave ou entregar em uma unidade da CDA, levando a declaração de vacinação preenchida e acompanhada da nota fiscal de compra das vacinas.

É preciso também declarar todos os animais de outras espécies existentes na propriedade, tais como equídeos (equinos, asininos e muares), suídeos (suínos, javalis e javaporco), ovinos, caprinos e aves (granjas de aves domésticas, criatórios de avestruzes).

Na página da Defesa Agropecuária na internet estão disponíveis todas as informações necessárias para a realiza ção da vacinação dos bovídeos e entrega da declaração. Caso o criador tenha alguma dúvida, ou quiser conhecer um pouco mais sobre o Programa Estadual de Erradicação da Febre aftosa é só acessar: www.defesa.agricultura.sp.gov.br/programas/aftosa

A vacinação contra a febre aftosa é obrigatória. Não vacinar ou não comunicar a vacinação à Defesa Agropecuária até a data estabelecida é passível de sanções: 5 Ufesps (R$ 128,70) por cabeça por deixar de vacinar, e 3 Ufesps (R$ 77,10) por cabeça por deixar de comunicar a vacinação. O valor de cada Unidade Fiscal do Estado de São Paulo (Ufesp) é R$ 25,70.

Mais informações
Assessoria de Comunicação

Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
Tel: (11) 5067-0562
Atenciosamente,

Esta notícia foi lida 117 vezes!

Autor redacao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*