(16) 3826-3000
(16) 9.9995-9011
Home / Brasil / Crise se agrava e crianças morrem de fome na Venezuela
Carlos Aquino cries over the body of his 17-month-old son, Kenyerber Aquino Merchán, who died of heart failure caused by severe malnutrition, in San Casimiro, Venezuela, Aug. 21, 2017. Doctors across the country said that their emergency rooms were being overwhelmed by children with severe malnutrition — a condition they had rarely encountered before the economic crisis began. “How can this be?” Aquino said. “Your papá will never see you again.” (Meridith Kohut/The New York Times)
Carlos Aquino cries over the body of his 17-month-old son, Kenyerber Aquino Merchán, who died of heart failure caused by severe malnutrition, in San Casimiro, Venezuela, Aug. 21, 2017. Doctors across the country said that their emergency rooms were being overwhelmed by children with severe malnutrition — a condition they had rarely encountered before the economic crisis began. “How can this be?” Aquino said. “Your papá will never see you again.” (Meridith Kohut/The New York Times)

Crise se agrava e crianças morrem de fome na Venezuela

O problema da fome assola a Venezuela há anos, mas agora a desnutrição está matando as crianças em ritmo alarmante. Por cinco meses, o New York Times acompanhou o cotidiano hospitais públicos venezuelanos e, segundo os médicos, o número de mortes por desnutrição é recorde.

Desde que a economia da Venezuela começou a ruir, em 2014, protestos por falta de comida se tornaram comuns. Também virou rotina ver soldados montando guarda diante de padarias e multidões enfurecidas saqueando mercados.

As mortes por desnutrição são o segredo mais bem guardado do governo de Nicolás Maduro. Nos últimos cinco meses, o New York Times entrevistou médicos de 21 hospitais em 17 Estados. Os profissionais descrevem salas de emergência cheias de crianças com desnutrição grave, um quadro que raramente viam antes da crise.

Para contornar crise econômica, Maduro anuncia criação de criptomoeda venezuelana

“As crianças chegam em condições muito graves de desnutrição”, disse o médico Huníades Urbina Medina, presidente da Sociedade Venezuelana de Pediatria. De acordo com ele, os médicos venezuelanos têm se deparado com casos de desnutrição semelhantes aos encontrados em campos de refugiados.

Jovens recolhem comida no lixo

Esta notícia foi lida 544 vezes!

Autor redacao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*