(16) 3826-3000
(16) 9.9995-9011
Home / Brasil / Orlandia continua sem expressão na geração de empregos, segundo o CAGED
Industria4

Orlandia continua sem expressão na geração de empregos, segundo o CAGED

A cidade de Orlândia continua sem expressão  no que diz respeito a geração de emprego. Não é mais aquela que buscava trabalhadores em toda região. Os tempos são outros e mesmo com a abertura de mais de 150 vagas no final do ano, a cidade  continua com índices baixos de geração de emprego junto ao CAGED

Com 3.260 vagas de trabalho abertas, Ribeirão Preto (SP) é a quarta cidade que mais gerou empregos no estado de São Paulo em 2019, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia.

Já no comparativo com 2018, Miguelópolis (SP) teve o melhor desempenho na região: os 207 postos de trabalho abertos representam crescimento de 11,32%. Monte Azul Paulista (SP) e Colina (SP) aparecem em seguida com alta de 7,34% e 7,20%, respectivamente.

“A gente está olhando em termos proporcionais. Então, quando você tem cidades menores, pela base ser menor, qualquer variação acaba tendo um percentual maior”, explica o economista Luciano Nakabashi, professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP (FEA-RP).

Comércio em Ribeirão Preto: setor registrou bom desempenho em 2019 — Foto: Valdinei Malaguti/EPTV

Ribeirão Preto

O levantamento do Caged confirma a vocação de Ribeirão Preto para comércio e serviços. Juntos, os dois setores foram os responsáveis pelo resultado positivo na geração de empregos, com abertura de 4.342 vagas de trabalho no ano passado.

“Ribeirão Preto é uma cidade que cresce relativamente bem. Em termos percentuais não é muito, mas é uma cidade que tem uma economia de serviços muito pujante, educação, saúde, então tende a manter esse crescimento relativamente alto, que não é alto, mas é relativamente bom”, diz o economista.

Por outro lado, a construção civil recuou 4,16%, com o fechamento de 484 postos de trabalho. Já a indústria encerrou o ano com saldo de 378 vagas a menos, queda de 1,7% em relação ao resultado de 2018.

A administração pública também fechou 43 vagas – retração de 4,87% no comparativo com o ano anterior. Por fim, os 13 postos abertos na agropecuária representam alta de 1,14% no setor em 2019, ainda de acordo com o Caged.

Manicure em Ribeirão Preto: setor de serviços se destacou na geração de empregos em 2019 — Foto: Luciano Tolentino/EPTV

Região

Em relação à evolução dos empregos, Miguelópolis se destacou na região de Ribeirão Preto em 2019. Apesar de o montante de 207 vagas abertas não ser expressivo, representa aumento de 11,32% em relação ao ano anterior.

Construção civil, serviços e comércio contribuíram para o resultado, com alta de 31,62%, 10,5% e 4,53%, respectivamente. A indústria fechou três postos de trabalho – queda de 21,43% – e o setor de agropecuária, outras cinco vagas – redução de 1,74%.

Em Monte Azul Paulista, o saldo de 358 vagas abertas em 2019 representa alta de 3,54% em relação ao ano anterior. O aumento na exportação de suco de laranja foi importante para o resultado: o setor de agropecuária abriu 371 postos de trabalho.

Indústria de suco de laranja — Foto: Reprodução/EPTV

O cenário só não foi melhor na cidade porque a indústria encerrou o ano com 66 vagas a menos – retração de 13,87% – e a construção civil também gerou 16 postos de trabalho a menos em relação a 2018 – queda de 13,45%.

O ranking de desempenho destaca ainda Colina e Sales Oliveira (SP), com variação positiva de 7,2% e 7,16% na geração de empregos, respectivamente. Enquanto a primeira cidade encerrou o ano com 366 vagas abertas, a segunda manteve 146 postos de trabalho.

Nos dois municípios, a indústria se destacou entre os setores da economia. Em Colina, o saldo foi de 129 vagas abertas entre janeiro e dezembro, enquanto em Sales Oliveira as fábricas geraram 94 empregos.

Esta notícia foi lida 91 vezes!

Autor redacao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*