(16) 3826-3000
(16) 9.9995-9011
Home / Brasil / Quatro réus são condenados a até 27 anos de prisão por assassinato de diretor de TV em Barretos
Barretos

Quatro réus são condenados a até 27 anos de prisão por assassinato de diretor de TV em Barretos

A Justiça condenou quatro réus a penas entre 18 e 27 anos de prisão em regime fechado pelo assassinato do diretor de TV Marco Antonio Moreira Lagos, o Chileno, há oito anos em Barretos (SP).

Em junho de 2011, o empresário foi morto com sete tiros, ao deixar um hotel da cidade. A motivação, segundo o Ministério Público, foi uma dívida acumulada com antigos diretores da emissora, de quem ele havia adquirido os direitos de exploração comercial. O processo, que corre sob segredo de Justiça, totaliza em torno de 2,6 mil páginas.

As condenações foram proferidas pela juíza Fernanda Martins Perpetuo de Lima Vazquez na última sexta-feira (6) no encerramento de um júri popular que se estendeu por três dias no Fórum local.

 

Imagem reconstitui assassinato de diretor de TV em Barretos em 2011 — Foto: Arquivo/Cedoc EPTV Imagem reconstitui assassinato de diretor de TV em Barretos em 2011 — Foto: Arquivo/Cedoc EPTV

Imagem reconstitui assassinato de diretor de TV em Barretos em 2011 — Foto: Arquivo/Cedoc EPTV

 

Todos os acusados foram condenados por homicídio qualificado, com penas que variam de acordo com o nível atribuído à participação no crime, segundo informações obtidas pelo G1 com o Ministério Público e com o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP):

  • Adriano Dias de Souza (21 anos de reclusão): acusado de ser o executor dos disparos, foi condenado por homicídio duplamente qualificado, motivado por paga de recompensa ou outro motivo torpe e cometido mediante emboscada ou recurso que dificulte a defesa da vítima;
  • Lucas Sasdelli Soares de Oliveira (27 anos de reclusão): acusado de ser, entre os mandantes, o que teve envolvimento mais direto nos atos que levaram à morte. Também foi condenado por homicídio duplamente qualificado, motivado por paga de recompensa ou outro motivo torpe e cometido mediante emboscada ou recurso que dificulte a defesa da vítima;
  • Milton Diniz Soares de Oliveira (24 anos de reclusão): acusado de ser um dos mandantes do crime. Condenado por homicídio qualificado, motivado por paga de recompensa ou outro motivo torpe;
  • Rafael Sasdelli Soares de Oliveira (18 anos e oito meses de reclusão): acusado de ser um dos mandantes, também condenado por homicídio qualificado, motivado por paga de recompensa ou outro motivo torpe.
 

Marco Antônio Moreira Lagos, o "Chileno", morto em 2011 com sete tiros em Barretos (SP) — Foto: Arquivo/Cedoc EPTV Marco Antônio Moreira Lagos, o "Chileno", morto em 2011 com sete tiros em Barretos (SP) — Foto: Arquivo/Cedoc EPTV

Marco Antônio Moreira Lagos, o “Chileno”, morto em 2011 com sete tiros em Barretos (SP) — Foto: Arquivo/Cedoc EPTV

 

Dos quatro condenados, apenas Adriano segue preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Ribeirão Preto (SP), onde está desde janeiro de 2012. Os demais respondem em liberdade por força de habeas corpus.

Procurado, o advogado Láercio Natal Sparapani, que defende Adriano, disse que entrou com um termo de apelação no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) para questionar as circunstâncias da condenação do júri que, segundo ele, teve a diferença de um voto e foi baseada em opinião contrária ao que estava evidenciado nos autos.

A mesma medida será tomada pelo advogado Otávio Garcia, que defende Milton Diniz Soares de Oliveira. Ele menciona o mesmo argumento de Sparapani. “Vou articular o recurso de apelação objetivando a nulidade do julgamento, porque houve sérios contratempos que ensejarão a nulidade bem como a decisão dos jurados, que teria sido proferida em total afronta ao conjunto probatório carreado para os autos”, disse.

O G1 contatou o escritório do advogado de Rafael e Lucas, mas ainda não obteve um posicionamento até a publicação desta matéria.

 

Lucas Sasdelli Soares de Oliveira, acusado de planejar morte de diretor de TV em Barretos em 2011 — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV Lucas Sasdelli Soares de Oliveira, acusado de planejar morte de diretor de TV em Barretos em 2011 — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV

Lucas Sasdelli Soares de Oliveira, acusado de planejar morte de diretor de TV em Barretos em 2011 — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV

O crime

Em 27 de junho de 2011, o empresário Marco Antonio Moreira Lagos, então com 34 anos, seguia em direção ao estacionamento de um hotel em que vivia provisoriamente em Barretos, quando foi surpreendido por um atirador encapuzado e armado com um revólver calibre 38 que lhe deu sete disparos.

 

O crime foi presenciado pelo cunhado e pelo irmão da vítima. A vítima morreu no local com quatro tiros nas costas, dois na nuca e um em um dedo da mão esquerda. Segundo informações da Polícia Militar, testemunhas viram o atirador fugindo em um veículo.

Na denúncia apresentada em 27 de janeiro de 2012, o Ministério Público atribuiu o assassinato do empresário a uma dívida não quitada por Moreira Lagos aos antigos mantenedores da TV, o médico Milton Diniz Soares de Oliveira e os filhos Rafael Sasdelli Soares de Oliveira e Lucas Sasdelli Soares de Oliveira.

 

Adriano Dias de Souza, acusado de ser o autor dos disparos que mataram diretor de TV em Barretos em 2011 — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV Adriano Dias de Souza, acusado de ser o autor dos disparos que mataram diretor de TV em Barretos em 2011 — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV

Adriano Dias de Souza, acusado de ser o autor dos disparos que mataram diretor de TV em Barretos em 2011 — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV

O empresário, segundo a promotoria, adquiriu a emissora em outubro de 2010 por meio de um contrato de cessão onerosa de direitos de exploração que previa o pagamento de R$ 5 milhões até 15 de abril de 2011.

De acordo com o Ministério Público, o empresário não quitou todo o débito no prazo estabelecido e os ex-mantenedores decidiram matá-lo com a intenção de reaver a direção da emissora.

 

Milton Diniz Soares de Oliveira, acusado de planejar morte de diretor de TV em Barretos (SP) — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV Milton Diniz Soares de Oliveira, acusado de planejar morte de diretor de TV em Barretos (SP) — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV

Milton Diniz Soares de Oliveira, acusado de planejar morte de diretor de TV em Barretos (SP) — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV

 

Segundo a acusação, Lucas, que também era médico, recorreu a um enfermeiro com quem trabalhava em Limeira (SP), que indicou Adriano Dias de Souza para a execução de Moreira Lagos.

Também por meio dele, de acordo com o MP, Milton Diniz se encontrou com Adriano e adiantou a ele uma recompensa de R$ 6 mil, de um total de R$ 80 mil, para a morte do empresário.

Dos cinco que foram denunciados pelo homicídio, somente o enfermeiro acusado como intermediário na contratação do atirador não foi a júri porque morreu enquanto o processo tramitava na Justiça e teve a punibilidade extinta.

 

Rafael Sasdelli Soares de Oliveira, acusado de planejar morte de diretor de TV em Barretos (SP) — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV Rafael Sasdelli Soares de Oliveira, acusado de planejar morte de diretor de TV em Barretos (SP) — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV

Rafael Sasdelli Soares de Oliveira, acusado de planejar morte de diretor de TV em Barretos (SP) — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV

 

Estacionamento de hotel em Barretos onde diretor de TV foi assassinado em 2011 — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV Estacionamento de hotel em Barretos onde diretor de TV foi assassinado em 2011 — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV

Estacionamento de hotel em Barretos onde diretor de TV foi assassinado em 2011 — Foto: Arquivo/ Cedoc EPTV

 

 

Esta notícia foi lida 63 vezes!

Autor redacao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*