(16) 3826-3000
(16) 9.9995-9011
Home / Economia / Após dois meses de queda, produção industrial sobe 7% em maio
S11  BETIM MG 11/05/2020  ECONOMIA RETOMADA PRODUCAO /COMBATE CORONAVIRUS  Montadora   Fiat Chrysler  retoma produção de veiculos  com cuidados e protocolos de seguranca para evitar contaminação de funcionários pelo coronavírus Covid-19 na fabrica do municipio de Betim em Minas Gerais   FOTO Leo Lara
S11 BETIM MG 11/05/2020 ECONOMIA RETOMADA PRODUCAO /COMBATE CORONAVIRUS Montadora Fiat Chrysler retoma produção de veiculos com cuidados e protocolos de seguranca para evitar contaminação de funcionários pelo coronavírus Covid-19 na fabrica do municipio de Betim em Minas Gerais FOTO Leo Lara

Após dois meses de queda, produção industrial sobe 7% em maio

Resultado se deve à base de comparação baixa de abril e já reflete a flexibilização das medidas de isolamento contra o coronavírus; na comparação com maio de 2019, a indústria teve retração de 21,9%

Daniela Amorim, Cícero Cotrim e Thaís Barcellos, O Estado de S.Paulo

RIO  e SÃO PAULO –  Depois de cair ao menor nível da história em abril, com retração de 18,8%, a produção industrial subiu 7% em maio na comparação com o mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira, 2. O resultado foi beneficiado pela base de comparação baixa e pela flexibilização das medidas de isolamento social contra o coronavírus em algumas partes do País.

“É natural esse crescimento (de maio) em função de o mês de abril ter sido muito caracterizado por uma interrupção e paralisações de plantas produtivas. Então, com a volta da produção em maio, mesmo que de forma parcial, isso tem algum tipo de acréscimo em relação aos meses anteriores”, justificou André Macedo, gerente na Coordenação de Indústria do IBGE.

O crescimento ainda foi insuficiente para reverter a queda de 26,3% acumulada nos meses de março e abril. Com isso, o setor fabril permanece no segundo patamar mais baixo desde o início da série histórica da Pesquisa Industrial Mensal, 34,1% abaixo do nível recorde alcançado em maio de 2011.

“Mesmo considerando esse crescimento mais intenso observado em maio, mesmo considerando o espalhamento entre as atividades, ainda assim o setor industrial tem um espaço importante a percorrer para zerar essas perdas do período da pandemia da covid-19”, ressaltou Macedo.

O pesquisador do IBGE lembra que a indústria operava em maio 21,2% abaixo do patamar em que estava no mês de fevereiro, antes que tivesse início no País a crise sanitária provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Esta notícia foi lida 105 vezes!

Autor redacao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*


Popups Powered By : XYZScripts.com