(16) 3826-3000
(16) 9.9995-9011
Home / Economia / Mourão diz que eventual exclusão da chinesa Huawei do 5G ‘vai custar muito mais caro’
( Pequim - China, 24/05/2019) Vice-Presidente da República, Hamilton Mourão, durante Audiência com o Presidente da Conferência Consultiva Politica do Povo Chinês, Senhor Wang Yang.                                                Foto: Adnilton Farias/VPR
( Pequim - China, 24/05/2019) Vice-Presidente da República, Hamilton Mourão, durante Audiência com o Presidente da Conferência Consultiva Politica do Povo Chinês, Senhor Wang Yang. Foto: Adnilton Farias/VPR

Mourão diz que eventual exclusão da chinesa Huawei do 5G ‘vai custar muito mais caro’

Gustavo Porto e Sandra Manfrini, O Estado de S.Paulo

vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta segunda-feira, 7, que, se a chinesa Huawei não puder fornecer equipamentos para o 5G no Brasil, o custo da tecnologia no País será muito mais elevado.

“Hoje, 40% da infraestrutura que nós temos de 3G e 4G é da Huawei. Se a Huawei não puder fornecer o equipamento (de 5G), vai custar muito mais caro”, afirmou o vice-presidente durante palestra comemorativa aos 126 anos da Associação Comercial de São Paulo. “Se desmantelar equipamentos (do 5G), quem vai pagar a conta somos nós, consumidores”, completou.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse, no Twitter, que concorda a avaliação de Mourão.

Hamilton Mourão
‘Quem vai pagar a conta somos nós, consumidores’, disse Mourão sobre ideia de banir a Huawei do 5G. Foto: Twitter/General Hamilton Mourão

A tecnologia 5G é a quinta geração das redes de comunicação móveis. Ela promete velocidades até 20 vezes superiores ao 4G. Em ambiente controlado, as redes 5G podem ter velocidades de até 1 gigabit por segundo (Gbps). Assim, permite um consumo maior de vídeos, jogos e ambientes em realidade virtual. Além disso, promete reduzir para menos da metade a latência, tempo entre dar um comando em um site ou app e a sua execução – dos atuais 10 milissegundos para 4 ms. Em algumas situações, a latência poderá ser de 1 ms, importante, por exemplo, para o desenvolvimento de carros autônomos.

Mourão disse que o leilão do 5G é de frequências e que as “teles já estabelecidas aqui vão disputar o leilão”. Segundo ele, na infraestrutura, das cinco maiores empresas, duas são chinesas. “A empresa que comprovar respeito à soberania, privacidade e economicidade pode ser contratada”, emendou.

Apesar da fala do vice-presidente, o leilão do 5G no Brasil é alvo de pressões internacionais, envolvendo a disputa entre o governo americano e a empresa chinesa Huawei. A organização é líder no desenvolvimento do 5G, mas é acusada de fazer espionagem e trabalhar com o governo chinês.

Conforme o Estadão/Broadcast apurou e noticiou em 29 de novembro, o governo de Jair Bolsonaro procura alternativas, dentro da lei, para limitar a participação da Huawei na implementação das redes do 5G no País. A ideia seria estabelecer uma barreira com base em requisitos técnicos ou de segurança, sem citar o nome da Huawei, mas que, na prática, impeçam a empresa de participar do mercado 5G.

Esta notícia foi lida 120 vezes!

Autor redacao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*


Popups Powered By : XYZScripts.com