(16) 3826-3000
(16) 9.9995-9011
Home / Esportes / Fórmula 1 recomeça tendo que lidar com impasses, especulações e prejuízos
Lewis Hamilton da Mercedes lidera a primeira volta do Grande Prêmio do Brasil
Lewis Hamilton da Mercedes lidera a primeira volta do Grande Prêmio do Brasil

Fórmula 1 recomeça tendo que lidar com impasses, especulações e prejuízos

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S. Paulo

Quatro meses após os testes da pré-temporada, o Mundial de Fórmula 1 enfim terá início no fim de semana. O campeonato será aberto pelo GP da Áustria, que originalmente seria apenas o 11.º do ano. A drástica mudança escancara o que foram os últimos meses para a categoria, com impasses, dúvidas e seguidas alterações no calendário.

A pandemia do novo coronavírus tornou a temporada 2020 uma das mais tumultuadas da história de 70 anos da F-1. A indefinição teve início com o cancelamento de última hora do GP da Austrália, que deveria abrir o campeonato no dia 15 de março. Os pilotos nem chegaram a participar do primeiro treino livre. Ou seja, não entram na pista desde os testes da pré-temporada em Barcelona, no fim de fevereiro.

Lewis Hamilton
Com o segundo lugar no GP dos Estados Unidos em 2019, Hamilton conquistou o seu sexto título da Fórmula 1 Foto: Clive Mason/Getty Images/AFP

“Isso nunca aconteceu. O nosso mundo nunca viveu da forma como está hoje. A FIA está fazendo passo a passo. Até agora confirmou só a fase europeia, enquanto está organizando as outras corridas fora da Europa”, afirma Luciano Burti, ex-piloto de F-1 e comentarista da TV Globo.

Nestes quatro meses longe do asfalto, os pilotos viram o calendário sofrer um brusco encolhimento. As 22 etapas, que seriam um recorde na F-1, se tornaram apenas oito até agora. Ficaram pelo caminho até provas tradicionais, como as de Mônaco e do Japão. O GP da Holanda precisou adiar sua reestreia.

“Eu nunca tinha visto isso desde que acompanho a F-1, desde criança. A F-1 tinha sempre aquela imagem de que não muda nunca. O que está acontecendo é exceção, como vem acontecendo com tudo no mundo”, diz Tarso Marques, brasileiro também com passagem pela categoria.

Preocupada com as indefinições, a direção da F-1 fez algo incomum ao promover rodadas duplas no mesmo circuito, tanto na Áustria (também no dia 12) quanto na Inglaterra (dias 2 e 9/08). As outras corridas confirmadas serão na Hungria (19/07), Espanha (16/08), Bélgica (30/08) e Itália (6/09). “A logística não é simples, mas as rodadas duplas facilitam essa questão”, avalia Burti.

Depois da prova italiana, o calendário é uma incógnita. Adiados, os GPs do Bahrein, Vietnã, Canadá e China ainda podem ser disputados este ano. As corridas na Rússia, EUA, México, Abu Dabi e até no Brasil continuam em aberto. E, mesmo fora da categoria nos últimos anos, circuitos conhecidos, como os de Mugello (Itália), Ímola (San Marino) e Algarve (Portugal), podem reaparecer este ano.

Esta notícia foi lida 123 vezes!

Autor redacao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*


Popups Powered By : XYZScripts.com