(16) 3826-3000
(16) 9.9995-9011
Home / Internacional / Estados Unidos ameaçam atacar Rússia caso país use novo míssil
U.S. Ambassador to NATO Kay Bailey Hutchison briefs the media ahead of a NATO defence ministers meeting at the Alliance headquarters in Brussels, Belgium, October 2, 2018. REUTERS/Francois Lenoir
U.S. Ambassador to NATO Kay Bailey Hutchison briefs the media ahead of a NATO defence ministers meeting at the Alliance headquarters in Brussels, Belgium, October 2, 2018. REUTERS/Francois Lenoir

Estados Unidos ameaçam atacar Rússia caso país use novo míssil

Os Estados Unidos ameaçaram nesta terça-feira, 2, usar a força militar contra a Rússia caso Moscou coloque em funcionamento um novo modelo de míssil com capacidade de carregar ogivas nucleares.

A ameaça foi feita pela embaixadora americana junto à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). “Se o sistema ficar operacional, os EUA vão examinar a capacidade de anular um míssil que possa atingir algum de nossos países aliados”, disse Kay Bailey Hutchinson.

Ela se referia a um novo míssil de cruzeiro desenvolvido pela Rússia, o 9M729. O governo americano afirma que a arma fere o Tratado de Forças Nucleares Intermediárias, de 1987, que baniu todos os mísseis de cruzeiro com alcance entre 500 e 5.500 km.

O míssil anunciado no ano passado por Vladimir Putin viaja a velocidades subsônicas e de forma “inteligente”, desviando de obstáculos e muito próximo do solo, o que o torna difícil de ser detectado por defesas inimigas.

“Eles estão construindo um míssil balístico de médio alcance, violando o acordo INF. É um fato que nós já provamos. Há anos estamos tentando avisar a Rússia que sabemos que eles estão fazendo isso. Mostramos as provas”, afirmou a embaixadora.

A Rússia, que sempre negou que seu míssil viole o acordo de 1987, não fez nenhum comentário sobre a fala da embaixadora. O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, afirmou que a aliança considera que o governo do presidente Putin não deu garantias de que seu novo míssil não tem essa capacidade.

Analistas afirmaram que o endurecimento do discurso dos EUA é uma tentativa de pressionar Moscou a não usar os mísseis, e reaproximar o governo de Donald Trump da Otan, entidade que o presidente americano critica com veemência.

Exercícios Militares da Otan

Ainda na terça-feira, 2, a Otan confirmou que realizará suas maiores manobras militares desde a Guerra Fria no fim de outubro. O Exercício Trident Juncture 18 mobilizará 45 mil soldados e será realizado na Noruega, país que faz fronteira com a Rússia. “Este é um dos nossos maiores exercícios em muitos anos. Incluirá 45 mil participantes de 31 países aliados e sócios, cerca de 150 aviões, 60 navios e mais de 10 mil veículos”, afirmou o secretário-geral da Otan.

A Noruega tem uma fronteira terrestre de 196 km com a Rússia, e a Frota do Norte da Rússia tem sua base principal em Severomorsk, a cerca de 100 km da fronteira com a Noruega.

Desde o início do conflito na Ucrânia e a anexação da Crimeia pelo governo de Moscou, em março de 2014, os aliados da Otan reforçaram sua presença no Leste Europeu, especialmente nos países bálticos, que fazem fronteira com a Rússia. / AFP, REUTERS e EFE

Esta notícia foi lida 85 vezes!

Autor redacao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*