(16) 3826-3000
(16) 9.9995-9011
Home / Internacional / Líder de grupo de extrema direita é indiciado e pode pegar até 20 anos por invasão ao Capitólio
Capitolio3

Líder de grupo de extrema direita é indiciado e pode pegar até 20 anos por invasão ao Capitólio

Alan Feuer e Adam Goldman / The New York Times, O Estado de S.Paulo

WASHINGTON – O líder e fundador da milícia de extrema direita Oath Keepers, Stewart Rhodes, foi preso nesta quinta-feira, 13, e acusado de conspiração sediciosa por organizar um plano para invadir o Capitólio em 6 de janeiro de 2021, informaram autoridades americanas. Esta é a primeira vez que os promotores apresentam uma acusação de sedição, a mais grave até o momento. Também nesta quinta-feira, a comissão da Câmara dos Deputados que investiga a insurreição emitiu intimações contra grandes empresas de mídias sociais, como Twitter e YouTube.

Rhodes, um ex-paraquedista do Exército que se formou em Direito em Yale, está sob investigação por seu papel no motim desde pelo menos a primavera passada (Hemisfério Morte), quando, contra o conselho de seu advogado, se sentou com agentes do FBI para uma entrevista no Texas. Ele estava no Capitólio em 6 de janeiro, se comunicando por celular com membros de sua equipe, muitos dos quais entraram no prédio, mas não há evidências de que ele tenha entrado no Capitólio.

O Oath Keepers emergiu como um dos grupos extremistas de direita mais proeminentes na invasão ao Capitólio, ao lado do Proud Boys. Os promotores coletaram milhares de páginas de provas contra eles, incluindo bate-papos criptografados e gravações de reuniões online. Eles acusaram seus membros não apenas de forçar a entrada no prédio fazendo uma “pilha” de estilo militar, mas também de posicionar uma “força de reação rápida” armada em um hotel na Virgínia para estar pronta para invadir Washington, se necessário.

Por meio de seus advogados, membros do Oath Keepers que já estão enfrentando acusações disseram que convergiram para Washington pouco antes de 6 de janeiro como parte de uma equipe de segurança contratada para proteger celebridades conservadoras como Roger Stone, aliado de longa data do ex-presidente Donald Trump.

Em entrevista ao The New York Times no meio do ano passado, Rhodes expressou frustração por vários membros de seu grupo terem “saído da missão” ao entrar no Capitólio em 6 de janeiro, acrescentando rapidamente: “Não houve nenhuma instrução minha ou da liderança para fazê-lo.”

Esta notícia foi lida 34 vezes!

Autor redacao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*


Popups Powered By : XYZScripts.com