(16) 3826-3000
(16) 9.9995-9011
Home / Internacional / Trump ameaça de novo barrar voos do Brasil para os Estados Unidos
Aviao5

Trump ameaça de novo barrar voos do Brasil para os Estados Unidos

Não quero que as pessoas venham aqui e infectem o nosso povo’, disse presidente americano

Beatriz Bulla, CORRESPONDENTE, O Estado de S.Paulo

WASHINGTON – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou dizer que pode cancelar a entrada de voos do Brasil, por causa do aumento de infecções pelo coronavírus no País. “Estamos considerando”, disse Trump ao ser questionado por um jornalista se cogita impor uma restrição aos voos brasileiros pelo fato de o País estar em terceiro lugar na lista mundial de maior número de casos de covid-19, perdendo apenas para EUA e Rússia. “Eu não quero pessoas entrando e infectando nosso povo”, disse Trump.

Leia Também

Trump ameaça cortar financiamento para OMS permanentemente

Trump ameaça cortar financiamento para OMS permanentemente

ctv-laa-donald-trump
O presidente dos EUA, Donald Trump Foto: Brendan Smialowski/AFP

O americano anunciou, sem detalhes, que os EUA estão enviando respiradores ao Brasil. “Eu também não quero as pessoas de lá doentes. Estamos ajudando o Brasil com respiradores, eles precisam de respiradores e estou enviando a eles. Temos tantos milhares de ventiladores, estamos enviando a eles. Brasil está tendo problema, sem dúvida, sobre isso”, afirmou Trump.

Uma fonte do alto escalão da Casa Branca informou que Trump tem dito a países aliados que os EUA aumentaram a produção de respiradores e, com isso, estão aptos a vender os equipamentos a parceiros. O aviso de que os países podem comprar os respiradores se quiserem não foi apenas ao Brasil. Trump teria falado o mesmo a autoridades da Bolívia, Equador, França, Índia, Indonésia, Itália, Quênia, Paquistão, Paraguai, Filipinas, África do Sul, Coreia do Sul, Espanha e Reino Unido.

Segundo o encarregado de negócios da embaixada do Brasil nos EUA, Nestor Forster, o presidente Jair Bolsonaro e Trump fizeram “ofertas de lado a lado” de assistência entre os países durante o último telefonema que tiveram, no início de abril. “Cada país, como é natural, dará prioridade à sua própria população, mas os EUA asseguraram ao Brasil uma isenção da Lei de Produção de Defesa. Essa isenção garante a possibilidade de aquisição de respiradores artificiais, até um certo limite, caso o Ministério da Saúde tenha interesse em adquirir equipamentos fabricados nos EUA”, disse Forster. A Lei de Produção de Defesa, inicialmente invocada para garantir que os EUA tivessem o número de respiradores suficiente, não será usada para bloquear eventual compra pelo governo brasileiro, segundo a conversa entre os dois líderes.

Esta notícia foi lida 54 vezes!

Autor redacao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*


Popups Powered By : XYZScripts.com