A denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro contra o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) aponta que ele e a mulher, a dentista Fernanda Bolsonaro, receberam R$ 295,5 mil em dinheiro vivo. O montante foi recebido por meio de 146 depósitos “sem origem conhecida” entre abril de 2014 e agosto de 2018. As informações são do jornal O Globo.

De acordo com o MP, o valor foi usado para pagar parcelas de um apartamento de R$ 2,55 milhões na Barra da Tijuca, adquirido em maio de 2014. Os depósitos foram identificados na quebra de sigilo bancário do senador e da mulher dele.

Ainda conforme a denúncia, os depósitos “não encontram lastro em valores sacados nas contas do casal” e, portanto, “não provêm de suas fontes lícitas de renda, mas sim dos valores desviados da Alerj pelos ‘assessores fantasmas’, por intermédio de operadores financeiros”.

O MP descreve ainda que o apartamento foi quitado por meio de cheques, transferências e um financiamento bancário.

Procurada pelo O Globo, a defesa do senador Flávio Bolsonaro, exercida pelos advogados Rodrigo Roca, Luciana Pires e Juliana Bierrenbach, afirmou em nota que “em função do segredo de Justiça, a defesa está impedida de comentar detalhes, mas garante que a denúncia contra Flávio Bolsonaro é insustentável”.

“Dentre vícios processuais e erros de narrativa e matemáticos, a tese acusatória forjada contra o senador se mostra inviável e não passa de uma crônica macabra e mal engendrada, influenciada por grupos que têm claros interesses políticos e que, agora, tentam voltar ao poder. A denúncia, com tantos erros e vícios, não deve ser sequer recebida pelo Órgão Especial. Todos os defeitos de forma e de fundo da denúncia serão pontuados e rebatidos em documento próprios e no momento adequado”, diz a nota.